Como fazer um bom título para livro?

por Geisiane Alves

shelf-159852_1280

Já parou para pensar na quantidade de livros que são publicados mensalmente no país? Pois é, são muitos! Mas não é para ficar intimidado com esse dado, ao contrário, somente atente-se para o fato de que não se pode negligenciá-lo na hora de escolher o título do livro, afinal o público-alvo é, em muitos casos, atraído pelo título da obra (além da capa, do autor e do assunto – isso é bem comum em relação aos escritores novatos). Podemos observar essa realidade quando visitamos livrarias, feiras de livros, bienais, etc. O que chama a atenção, entre outros elementos, conhecendo ou não o autor? O título!

E reparou o quanto um título criativo e inteligente consegue provocar o leitor? Por isso, investir em bons títulos pode ser, sem sombra de dúvida, gratificante. Essa dica vale para todos os gêneros: ficção, não ficção, infantojuvenil, autoajuda, etc. Você precisa ficar atento ao público que pretende atingir, a fim de conseguir se aproximar e fazer títulos perspicazes.

Para ajudá-lo a elaborar um bom título, há alguns passos importantes:

Primeiro ponto: não opte por títulos extremamente rebuscados e extensos, não importa se o seu livro é mais teórico e técnico, é crucial ser objetivo e claro. Um recurso interessante são os subtítulos e as “chamadas”, que servem para esclarecer o título e “seduzir” o leitor. Esses sim podem ser mais explicativos e longos.

É realmente desestimulante ver um livro com um título imenso e que, não raramente, não diz nada, pois não passa de uma aglomeração de palavras. Assim como um livro com mais de 400 páginas não quer dizer que está bem escrito e que é a leitura será uma experiência única, um título superproduzido com expressões eruditas e extenso não é sinal de que despertará o interesse do leitor.

Segundo ponto: faça títulos intrigantes e curtos. O público quer ser despertado à leitura da obra, e um começo promissor podem ser a capa e o título. Se ele vir algo engenhoso, com certeza haverá mais chances de adquirir o livro. Lembre-se de ser inventivo ou mais conceituado conforme o público-alvo que se quer atingir; tenha em mente isso já fechado, para elaborar títulos “desembaraçados” e que alcancem os leitores pretendidos.

Para entender melhor, pode-se citar como exemplo um livro de autoajuda. Para esse caso, no momento de elaborar o título é interessante antever que o leitor não se sentirá estimulado ao ver as suas falhas ou imperfeições apontadas, ou mesmo o seu problema ser evidenciado. O que ele quer e precisa é ter a solução apresentada e o que pode vir a ser. Por exemplo, se sou uma esposa e mãe bastante apegada com a minha profissão e, por conta disso, acabo negligenciando algumas áreas da minha vida, eu não gostaria de ter esse desequilíbrio desvendado, mas me interessaria por uma obra que me esclarecesse que posso ser uma pessoa que aproveita o melhor de cada parte da minha vida, harmonizando família, casa, trabalho e lazer. Em relação a um livro de ficção, títulos em que pelas entrelinhas é possível saber em torno do que gira a história ou que deixem um suspense podem ser bastante atrativos.

O ponto principal é: aplique tempo para produzir bons títulos, vale a pena! E não coloque (jamais) um título só porque você gostou de como soou, e que tenha relação zero com o conteúdo do livro! Faça quantos rascunhos forem necessários, mas leve a sério a tarefa de criar um título.

Mas não se preocupe, se depois de finalizar a obra e não estiver satisfeito com o seu título, nós podemos lhe auxiliar, orientando-o conforme as possibilidades a inserir um subtítulo ou a reestruturar o título, tudo para que o seu projeto ganhe forma e possa alcançar o público do seu livro.

Esperamos que decida se juntar a nós e, havendo qualquer dúvida sobre publicação de livros, não hesite em nos contatar!

 

Designed by Pixabay.com